Image Map

sábado, 27 de setembro de 2014

Jane Eyre de Charlotte Bronte

Jane Eyre. Que dizer deste livro? Apenas que é um dos muitos livro que todos devem ler.

Acho que o nome Bronte não é desconhecido de qualquer um que se declare a "bookworm". Este serve de apelido a três grandes escritoras da literatura inglesa, sendo uma delas a autora deste magnífico livro, a Charlotte Bronte.
Nasceu em 1816 no seio de uma família bastante numerosa mas que se viu reduzida devido à morte de alguns dos seus irmão enquanto ainda eram novos.
O livro Jane Eyre é muitas vezes considerado uma quase autobiografia da sua autora, não tanto pela ação mas pela maneira de pensar e pelas adversidades da vida da protagonista. Charlotte Bronte foi ela própria uma professora e depois tornou-se numa governanta.
Charlotte, sendo uma mulher do século XIX, teve de se esconder sob o pseudónimo masculino de Currer Bell, pois as mulheres não eram consideradas adequadas à ocupação de escritoras.

Falando do livro em si, Jane Eyre conta a história de vida desta protagonista pelas suas próprias palavras. É como se a Jane nos estivesse a contar a sua vida até ao momento presente parando muitas vezes a ação para se dirigir aos leitores tratado-nos por esse mesmo nome.

Começamos por acompanhar a Jane enquanto ela ainda é uma criança e se encontra aos cuidados da sua tia que a despreza, pois ambos os seus pais já se encontravam mortos. Durante esta altura, sentimos como ela foi injustiçada e maltratada não só pela tia como pelos seus primos que a desprezavam também. Já nesta altura, as partes góticas e sobrenaturais do livro se começam a revelar quando a pequena Jane vê algo não material no quarto vermelho, numa das vezes em que lá foi trancada por ter sido apanhada a defender-se (batendo no primo que a agredira anteriormente). Depois de ser vista por um médico este aconselha a sua tia a que a mande para uma escola, coisa que a protagonista aceita de bom grado pois só se queria ver livre daquelas opressões que sofria constantemente.
Mandam-na para uma escola extremamente austera mas onde ela conhece outras raparigas e acaba por se integrar. Passam-se oito anos e a Jane, já com dezoito, decide tornar-se preceptora (devido à sua excelente educação) e para isso escreve um anuncio a que a Sra. Fairfax responde. A partir do momento  em que chega a Thornfield Hall e passado alguns incidentes conhece o Sr. Rochester, a sua vida muda.

É escusado dizer que adorei este livro, penso que é difícil alguém não gostar pois, para além de uma história muito bem construída assim como uma protagonista nada usual, o livro apresenta-nos uma escrita maravilhosa com frases lindíssimas.

Gostei bastante do desenvolvimento da protagonista, começando como alguém dependente e com vontade própria que por vezes tinha de "abafar", para acabar uma mulher dona de si própria e totalmente independente.Penso também que este livro nos faz pensar em como uma mulher simples e, aparentemente, sem nada de especial se torna a heroína desta história e comanda a sua própria vida. Acho a Jane uma personagem profundamente inspiradora e um modelo de mulher forte e que não se deixa levar pelo que seria mais fácil, nem deixa de se amar a si própria ou renuncia aos seus princípios por ninguém.

Os elementos góticos e sobrenaturais prendem o leitor de forma a que ele queira saber o que tudo aquilo quer dizer e desvendar os segredos do livro.

É uma história muito bonita e que eu não me canso de recomendar.

E vocês, já leram? O que acharam?


Beijinhos 
Marina Pinho 

5 comentários:

  1. Estou tão feliz por teres gostado *_* Beijos

    ResponderEliminar
  2. Eu ainda não li mas fiquei muito curiosa :)
    Boas leituras
    CriArte a Ler

    ResponderEliminar
  3. Li e mais ao menos na altura que publicaste esta mensagem. Adorei, a par do Monte dos Vendavais da irmã Emily Brontë, é dos meus romances históricos favoritos. Espero que voltes ao blog <3

    ResponderEliminar
  4. Quero muito ler!! *-*
    Beijinhos e boas leituras!

    ResponderEliminar

Thank's for your lovely comment :)